quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Miróbriga, um dia a cidade começou assim (reed.)


Desejaria que, um dia, a cidade renascesse ...
essa cidade de pedras onde outrora viveram pessoas
mas as pedras são como rostos; falam-nos dos sentidos
As pedras narram as estórias que  Álvaro Lapa compreendeu: Finesterra




Ruínas de Miróbriga, Santiago do Cacém
18 de Maio, 16h

Abraçando a comemoração do dia dos Museus, vai realizar-se, no dia 18 de Maio, pelas 16h, no Centro Interpretativo de Miróbriga uma reunião com eventuais apoiantes da criação da «Liga de Amigos de Miróbriga».
Pretende-se com a criação desta Liga envolver os cidadãos em geral, bem como entidades públicas e privadas e ainda a comunidade escolar e os investigadores na valorização do sítio, apelando-se assim à consciência cívica para a necessidade de uma maior valorização de tão importantes vestígios do passado.
As ruínas de Miróbriga, aglomerado urbano de relevância no período romano, possuem um Centro Interpretativo, infra-estrutura que contempla uma sala de exposições, um pequeno auditório, uma recepção, uma cafetaria, salas de trabalho e um laboratório e que se encontra concluída e aberta ao público desde Maio de 2001. Criado com a finalidade de apoiar os trabalhos arqueológicos a desenvolver em Miróbriga; servir de local de acolhimento aos visitantes; promover actividades sócio-educativas e ainda viabilizar eventos culturais de vária índole, poderá, desde que mais optimizada, funcionar como um pólo de dinamização cultural do Alentejo.
No entanto, para que tal aconteça é necessário que se criem, efectivamente, sinergias entre os vários agentes sócio/culturais e económicos, regionais e nacionais, permitindo criar maiores laços com o Sítio e com o que ele venha a incrementar.

Maio 2007



E agora dois anos passados? Que balanço fazer?
Postar um comentário